quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Desenho e texto: Indy P. Farias
Há meses forço um verso
Há meses forço um risco
Há meses que não vivo

Ando.Corro.Paro.Olho.Procuro.
E nada!

Mas afinal, o que mesmo que busco?!
Nem verso
Nem risco
Nem vivo

Ah... Talvez busque um sonho
Ou parte dele
Mas sem verso
Sem risco
Eu não vivo
[Ah tristeza]

Logo se não vivo não há sonho
Então caminho. Sento. Caminho. Corro.

Mas afinal, para onde estou indo?
Se não há sonho, a de haver caminho?!
[Como estou confusa]

Paro!

Sem verso
Sem risco
Sem sonho

Já sei...
[Uma luz?!]
Talvez procure um caminho que me leve a vida...
[Será?]

Se há vida
Há verso
Há risco
Há sonho
E se há sonho há inúmeros caminhos reais
E vivo!!!

5 comentários:

Taian disse...

"E se há sonho há inúmeros caminhos reais."

Já falei que sou seu fã? *__*

Rafiki disse...

E viva as possibilidades! Vale a pena do risco se o sonho for bom.
Ou talvez, o risco tenha a ver com toda a graça.
Eu tenho me sentindo assim, como os teus estrofes de dúvida. Me sinto sem vida, sem verso, sem risco. Loucura amordaçada, forçada a dormir.

Daisynha ਏਓ disse...

"E se há sonho há inúmeros caminhos reais."

E depois eu que toco com as palavras!
Mas é fato! palavras tocam! e as suas são sensoriais!

Te adoro, pequena!

A Bailarina disse...

De risco em risco se faz um sonho.

Beijos.

Mente Mascarada disse...

Riscando, riscando, desenho feito.